Silves-Guia de férias de Portugal

Silves é uma cidade atraente com uma rica história construída nas margens do Rio Arade. O rio era navegável em tempos históricos e representava um importante elo entre o interior e a costa. A cidade, que é construída no topo de um dos maiores aquíferos subterrâneos do Sul de Portugal, o aquífero Querenca-Silves, atravessa o rio e mantém um portão em estilo medina, a Porta de Loule, e partes das paredes de concreto derramadas que datam da época da ocupação Mourisca.

Castelo de Silves

Castelo de Silves

A área foi habitada desde o Paleolítico, mas a cidade atingiu o seu auge após a invasão árabe da Península Ibérica, 713. No século X, Silves, então chamado Xelb, era a capital de Al-Gharb, a área agora conhecida como Algarve. Em 1189, o rei Sancho I recapturou a cidade para os portugueses com a ajuda de um exército contratado de cruzados do Norte da Europa. Silves foi recapturado pelos mouros dois anos depois até finalmente cair para os cristãos em 1249.

hoje Silves é um local atraente e em ruínas de cafés ao ar livre e laranjais perfumados dominados por um dos castelos mais bem preservados do Algarve. A Fortaleza Moura, que possui um conjunto completo de paredes de arenito e torres destacadas, ocupa doze mil metros quadrados no topo da colina com vista para a cidade. Restos da Idade do ferro foram encontrados, junto com um poço, um palácio do governador e a Cisterna Grande, uma cisterna de água do século XIII que já serviu toda a cidade. A Cisterna tem dez metros de altura, é sustentada por seis colunas e diz-se assombrada pelo fantasma de uma donzela Moura. Um jardim de estilo mourisco foi recentemente recriado e está aberto diariamente aos visitantes, juntamente com o resto da Fortaleza, cujas paredes oferecem vistas impressionantes sobre a cidade e a paisagem circundante.

Catedral de Silves

Catedral de Silves

Abaixo o Fortaleza é de Silves catedral ou Sé, construído no local de uma grande mesquita e ladeado por grandes torres Góticas. A Catedral mantém parte de sua grandeza original, apesar dos danos causados pelo grande terremoto de 1755, bem como séculos de decadência e restauração irregular. Ao longo das paredes da catedral estão túmulos pertencentes a bispos e cruzados que morreram levando Silves de volta dos Mouros. Em frente à Catedral está a Igreja da Misericórdia, grande parte da qual remonta ao século XVIII.

uma extinta fábrica de cortiça conhecida como fábrica do Ingles (fábrica do inglês) abriga alguns museus e um conjunto de bares, cafés e fontes que ganham vida em agosto durante o festival anual de cerveja da cidade. Há um mercado à beira do rio, perto de uma estreita ponte do século XIII, todas as manhãs de segunda a sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.